EVANGELISMO E MISSÕES NO SÉCULO XXI

AS ESTRATÉGIAS DE JESUS PARA A IGREJA MISSIONÁRIA (conforme Lucas 10)

 I.  PRÉ-REQUISITOS PARA A IGREJA QUE DESEJA CUMPRIR A MISSÃO (Lc 10:1-3):

             1) Reconhecimento do Senhorio de Jesus (v. 1) “depois disso designou o Senhor...”.

               * A Igreja Missionária é um exército que tem um comando: Jesus.  Ele é chamado de Senhor (kyrios) mais de 700 vezes no NT!

              2) A Oração Encarada Como Prioridade (v. 2)  “rogai, pois, ao Senhor da seara...”

               i. a oração que reunda em santidade do povo (Lc 22:40)
            
   ii. a oração que comunica a visão e paixão pelo mundo perdido (Lc 9:32, no monte da transfiguração: “Ora, Pedro e os que estavam com ele se haviam deixado vencer pelo sono;  despertando, porém, viram a sua glória...”)

               3) O Censo de Missão (v. 3)  “Ide”

            Trabalhar na grande seara é a razão de ser da Igreja de Jesus!

 II.  1ª ESTRATÉGIA:  COMO CORDEIROS (Lc 10:3)

             a) A Igreja enfrenta lobos (“como cordeiros no meio de lobos”)

              i. Os lobos podem se disfarçar de ovelhas (Mt 7:15)
            
  ii. Para lidar lobos, Jesus recomenda a prudência da serpente (Mt 10:16)
            
  iii. Lobos podem se infiltrar na liderança do rebanho (Atos 20:29)

             b) Devemos trabalhar como cordeiros

              i. Porque Jesus veio a nós como Cordeiro (Is 53:7; Jo 1:29; 1 Pe 1:19; Ap 5:6)
            
  ii. O cordeiro depende do Pastor (Jo 15:5  “... sem mim nada podeis fazer.”)
            
  iii. O cordeiro é manso e próprio para o sacrifício (I Pe 2:23)
           
  iv. São cordeiros que gerarão outros cordeiros (Mt 9:36)

 III. 2ª ESTRATÉGIA:  COM URGÊNCIA E CONFIANÇA (Lc 10:4)

          “não leveis bolsa, nem alforge, nem sandálias, e a ninguém saudeis pelo caminho”

             a) Não há tempo a perder!

              i. aprendendo com Neemias a ver a obra do Senhor como prioridade (Ne 6:3)
            
  ii. a Bíblia manda remir o tempo (Ef 5:15 e 16)
            
  iii. é preciso ter boa mordomia das oportunidades (Col 4:5)

            b) Confiando na provisão de Deus

              i. Deus supriu seu povo durante quase 40 anos do Êxodo (Dt 29:5)
            
  ii. Ele provê quem busca primeiro seu Reino (Mt 6:33)
            
  iii. Ele supre todas as necessidades dos seus servos (Fp 4:19)

 IV. 3ª ESTRATÉGIA: COM ATITUDE DE PAZ (Lc 10:5) 

            a) Nossa Missão é oferecer paz aos que anseiam por ela

              * Estamos em busca daqueles que, como Simeão (Lc 2:25), aguardam a “consolação de Israel” e como Cornélio e sua família, anseiam pela Verdade (Atos 10).

             b) Nossas armas não são bélicas

              i. As armas com que Deus nos provê são poderosas (2 Co 10:3 e 4)
            
  ii. A arma de ataque da armadura: a Espada do Espírito (Ef 6:17)

 V.  4ª ESTRATÉGIA:  IDENTIFICANDO-NOS COM ELES  (Lc 10:7)

            “ficai na mesma casa, comendo e bebendo do que eles tiverem...”

             a) Jesus manda sua Igreja “misturar-se” com o mundo

               * sendo sal para a terra e luz para o mundo (Mt 5:13-16)

             b) A estratégia de sentar na mesma mesa:

              i. Foi utilizada pelo apóstolo Paulo (I Co 9:20 ss)
            
  ii. Chamou a atenção da samaritana (Jo 4:9)
            
  iii. Jesus sentou-se à mesa com publicanos e pecadores (Mt 9:9-13)

VI. 5ª ESTRATÉGIA:  SENDO COERENTES (Lc 10:9)

            “curai os enfermos que nela houver, e dizei-lhes: é chegado a vós o Reino de Deus”

             a) Primeiro, Ser; depois, Fazer e, por fim, Falar

              i. Jesus foi perfeitamente coerente (como no lava pés, Jo 13:14 e 15)
            
  ii. Fé só falada, sem ação, é morta (Tg 2:14-16)

             b) A coerência nos permitirá dizer: “Olhe para nós” (como Pedro e João em At 3:3)

              * se você pedir para ele olhar para você, ele esperará receber alguma coisa (At 3:5)

             c) Ser coerente significa “ter despensa cheia” (Atos 3:6  “...mas o que tenho te dou”)

              i. somos despenseiros da multiforme graça de Deus (I Pe 4:10)
            
  ii. na parábola do amigo importuno aprendemos como encher a despensa (Lc 11:5):

                        1. desfrutando da amizade de Deus 
                       
2. sendo movido pela motivação correta (v. 6) 
                       
3. perseverando na oração: pedindo, buscando e batendo (vs. 9-11)
                       
4. sendo específico em pedir a plenitude do Espírito Santo (v. 13)

 VII.  6ª ESTRATÉGIA:  PROCLAMANDO O JUÍZO  (Lc 10:9-16)

             a) Nossa Missão é proclamar a vinda do Reino de Deus (v. 9b)

              i. os que rejeitarem a paz com Deus, através de Jesus, continuarão debaixo da ira de Deus (Jo 3:36)
            
  ii. nossa  missão é anunciar o juízo (v. 12)

            b) As reações das pessoas são previstas (v. 16)

              i. quem rejeitar o Evangelho que pregamos, rejeita ao próprio Senhor 
            
  ii. a Parábola do Semeador nos prepara para as diversas reações à pregação do Evangelho (Mt 13:1)
            
  iii. na Bíblia encontramos 4 tipos de incrédulos:

                        1. os incrédulos violentos (Mt 26:65-68, At 7:59-60)
                       
2. os pseudo-crédulos (Jo 2:23-25)
                       
3. os quase crédulos (At 26:27-29)
                       
4. os exploradores de bênçãos (Jo 6:14, 26, 29-30)

Paulo Rogério Petrizi