EXPLORADORES DE BÊNÇÃOS

             Tive oportunidade de assistir a algumas fitas de vídeo que um irmão me emprestou recentemente e pude aprender mais sobre a vida animal em nosso planeta.  Uma ds imagens que chamaram a atenção foi a de um grupo de leões caçando uma enorme presa.  A apurada “técnica” dos felinos lhes possibilitou matar um bicho semelhante ao boi e devorá-lo - o que é natural, já que os animais irracionais matam para comer ou defender-se.  O que mais me interessou naquelas cenas foi a atitude de outros vários animais carnívoros que ficaram à espreita para beneficiarem-se das iminentes sobras.

            Os “espertinhos” podem ser encontrados em todas as esferas!  Não se envolvem com o trabalho pesado, não se comprometem, não se arriscam, não investem, ms ficam de olhos atentos às conquistas e procuram desfrutar delas ao máximo:  são exploradores de bênçãos.  Penso que há muitos que querem se valer destes ardis mesmo entre o povo de Deus.

            Sempre me vem à mente o episódio relatado em Números 32, quando o povo judeu liderado por Moisés se preparava para prosseguir na conquista da terra de Canaã.  Uma porção da terra na margem oriental do rio Jordão fora conquistada e duas tribos de Israel propuseram se instalar ali, Gade e Rúbem.  O argumento era que aquelas eram terras ideais para as atividades pastoris daquelas tribos.  É no versículo 6 que encontramos a reprimenda de Moisés: irão vossos irmãos à peleja, e ficareis vós sentados aqui?

            Deus sabe reconhecer quem são os oportunistas, que andam no meio do povo dEle esquivados de qualquer envolvimento e sacrifício.  Asos acomodados, omissos, descompromissados, que nunca se dispõem a lutar, eis uma palavra de Jesus:

Aquele servo, porém, que conheceu a vontade de seu Senhor e não  
se aprontou, nem fez segundo a sua vontade, será punido com muitos açoites.
(Lucas 12:47)

Paulo Rogério Petrizi