TÍTULO:     
O GLORIOSO MINISTÉRIO DA PREGAÇÃO

Texto: I Tessalonicenses 2:1-13

1- Porque vós mesmos sabeis, irmãos, que a nossa entrada entre vós não foi vã;

2- mas, havendo anteriormente padecido e sido maltratados em Filipos, como sabeis, tivemos a confiança em nosso Deus para vos falar o evangelho de Deus em meio de grande combate.

3- Porque a nossa exortação não procede de erro, nem de imundícia, nem é feita com dolo;

4- mas, assim como fomos aprovados por Deus para que o evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações.

5- Pois, nunca usamos de palavras lisonjeiras, como sabeis, nem agimos com intuitos gananciosos. Deus é testemunha,

6- nem buscamos glória de homens, quer de vós, quer de outros, embora pudéssemos, como apóstolos de Cristo, ser-vos pesados;

7- antes nos apresentamos brandos entre vós, qual ama que acaricia seus próprios filhos.

8- Assim nós, sendo-vos tão afeiçoados, de boa vontade desejávamos comunicar-vos não somente o evangelho de Deus, mas ainda as nossas próprias almas; porquanto vos tornastes muito amados de nós.

9- Porque vos lembrais, irmãos, do nosso labor e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus.

10- Vós e Deus sois testemunhas de quão santa e irrepreensivelmente nos portamos para convosco que credes;

11- assim como sabeis de que modo vos tratávamos a cada um de vós, como um pai a seus filhos,

12- exortando-vos e consolando-vos, e instando que andásseis de um modo digno de Deus, o qual vos chama ao seu reino e glória.

13- Por isso nós também, sem cessar, damos graças a Deus, porquanto vós, havendo recebido a palavra de Deus que de nós ouvistes, a recebestes, não como palavra de homens, mas (segundo ela é na verdade) como palavra de Deus, a qual também opera em vós que credes.

 Neste texto o apóstolo Paulo nos esclarece acerca de dois aspectos que distinguem o ministério da pregação do Evangelho do Reino de Deus:  é a tarefa mais difícil e árdua dentre todos os labores do mundo;  é o trabalho mais gratificante e glorioso que se pode fazer neste mundo! 

Ao mesmo tempo que deixa claro as dificuldades e desafios que enfrenta um pregador, esclarece também a gratificação que este colhe quando cumpre bem o seu ministério.  Aprendamos, então, acerca deste difícil mais glorioso ofício com o relato do querido servo do Senhor Jesus:

 a) O MINISTÉRIO DA PREGAÇÃO É ÁRDUO COMO A LUTA DE UM SOLDADO

 v. 2 “havendo anteriormente padecido e sido maltratados em Filipos, como sabeis, tivemos a confiança em nosso Deus para vos falar o Evangelho de Deus em meio de grande combate

Atos 16 narra as dificuldades enfrentadas por Paulo e Silas em Filipos.  No capítulo 17 encontramos as informações que Paulo aqui considera conhecidas dos tessalonisences.  Durante três semanas pôde pregar na sinagoga daquela cidade.  Alguns judeus creram, muitos gentios e muitas mulheres de posição (At 17:4).  Isto gerou ciúmes e mobilizou uma multidão de judeus enfurecidos e de “homens maus e vadios”. 

Paulo e Silas deixaram Tessalônica de noite, evitando as represálias dos enfurecidos judeus.  Foram-se para Beréia.

Ser pregador é ser soldado da linha de frente!

II Tm 2:3-4  “Sofre comigo como bom soldado de Cristo Jesus.  Nenhum soldado em serviço se embaraça com negócios desta vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra.”

II Tm 4:7 (o soldado que encerra a carreira) “Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.”

b)  O PREGADOR PRECISA RESISTIR ÀS TENTAÇÕES ESPECÍFICAS DO MIN.:

i. a tentação de querer ser agradável aos homens:  v. 4 “assim falamos não para agradar aos homens, mas a Deus, que prova os nossos corações”

Jeremias 28:  Hananias X  Jeremias   Ambos profetizam na casa do Senhor, na presença dos sacerdotes e de todo o povo.  Hananias afirma:  “Assim fala o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel:  Eu quebrarei o jugo do rei da Babilônia.  Dentro de dois anos, eu tornarei a trazer a este lugar todos os utensílios da casa do Senhor... bem como todos os cativos...”  nos vs. 15 e 16 Jeremias profetiza ao profeta Hananias:  “Ouve agora, Hananias, o Senhor não te enviou, mas tu fazes que este povo confie numa mentira.  Pelo que assim diz o Senhor:  eis que te lançarei de sobre a face da terra.  Este ano morrerás, porque pregaste rebelião contra o Senhor”.  (dois meses depois este morreu)

              - evitando assuntos que incomodam,
              - rebaixando padrões morais estabelecidos na Bíblia, etc.
              - usando palavras lisonjeiras (vs. 5a)

ii.  a tentação de agir com intuitos gananciosos (5b)  “nem agimos com intuitos gananciosos”  Paulo fala do seu labor dia e noite (talvez fazendo tendas) para não serem pesados aos crentes.    Estavam prontos a compartilharem suas próprias vidas!  

I Pedro 5:2  “apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, não por força, mas espontaneamente segundo a vontade de Deus; nem por torpe ganância, mas de boa vontade”

iii.  a tentação de buscar glória de homens  (6)  “nem buscamos glória de homens”

Lc 6:26  “Ai de vós quando todos os homens vos louvarem!  Porque assim faziam os seus pais aos falsos profetas”

 c) O PREGADOR PRECISA RECONHECER QUE SEU CARÁTER É SEU BEM MAIS PRECIOSO! 

v. 10 “vós e Deus sois testemunhas de quão santa e irrepreensivelmente nos portamos para convosco que credes...”

Pv 22:1 “Mais digno de ser escolhido é o bom nome do que muitas riquezas...”

Ec 7:1  “Melhor é o bom nome do que o melhor unguento...”

 Uma citação usada por uma aluno, de um comentário de A. N. Mesquita:  “O que me rouba a bolsa, rouba um pedaço de pano, mas o que me rouba o meu bom nome, rouba-me do que mais me enriquece e deixa-me inteiramente pobre.”

 d) O PREGADOR DEVE DESEMPENHAR BEM OS TRÊS OBJETIVOS DA PREGAÇÃO:

v. 12 “exortando-vos e consolando-vos, instando que andásseis de um modo digno de Deus...”

i. “exortando”: encorajar para uma determinada linha de comportamento.
ii. “consolando”:  encorajar a continuar num tipo de conduta. 
iii. “instando”:  convocar para testemunhar, convocar solenemente.

Conclusão: quão difícil, porém gloriosa é a tarefa de pregar o evangelho. O vs. 13 expressa esta dupla característica:

“...havendo recebido a palavra de Deus que de nós ouvistes, a recebestes, não como palavra de homens, mas como palavra de Deus, a qual também opera em vós que credes.”

 

Paulo Rogério Petrizi